Comprar um imóvel novo ou não?

Comprar um imóvel novo ou não?

Alguns anos atrás (2009) escrevi esse artigo sobre a compra de imóveis novos, acho que ainda está bastante atual, decidi republicá-lo com esclarecimentos sobre esse assunto. No fim do post, apenas atualizei a situação de mercado para o momento 2014.

30 de abril de 2009

É claro que para mim, como agente imobiliário prefiro o “não-novo”. Quando vendemos um imóvel que não é novo, recebemos uma retribuição ou comissão. Na venda de imóveis novos essa retribuição ou comissão, sempre existe, mas é paga somente ao vendedor da construtora. Mas, voltando diretamente ao assunto: novo ou não?

Para comprar uma propriedade é sempre bom lembrar que ela sendo nova ou não, recente ou mais antiga, apto ou casa, o fator mais importante é você. O que VOCÊ quer, em que região, em que estilo, de que tamanho, e finalmente quanto você pode pagar. Falando de preço, geralmente o preço é um fator determinante, e o preço anunciado para uma propriedade que não é nova, é o preço real, você pode até negociar para reduzir esse valor, o que é natural, e seu agente imobiliário pode e vai com certeza ajudá-lo nessa negociação.

No caso de um apto novo é como um carro novo, tudo é extra, muitas vezes os impostos de TPS e TVQ não são incluídos (é importante sempre verificar). O vendedor de aptos novos, só vende esses aptos, então não espere comprar um Toyota, numa concessionária Honda, você certamente vai sofrer uma pressão imensa para comprar.

Voltando à comparação com um automóvel, num imóvel novo tudo conta e afeta o preço, quer com garagem, que andar, de frente ou atrás da rua, quer vista, quer estacionamento, piso de madeira ou tapete, vai adicionando ao preço, daí o anúncio “A PARTIR DE…”, na realidade deveria ser “PREÇO MÍNIMO DE…”.

A negociação você faz você mesmo, (se você pode chamar isso de negociação) os únicos corretores de imóveis, são os deles, da construtora, notários, são os deles também (sabia que a lei permite ao comprador escolher o notário?), mas claro eles dizem: tem que usar o notário da construtora ou não vendemos (porque será?), a hipoteca: também tem que usar o banco deles. Mas, tudo bem, o que se vende no mercado hoje um dia foi novo…E a subvenção? Uau!!!Até 10 mil dólares, o que eles não dizem é que quando você vender vai ter que devolver esse dinheiro.

Claro que se o mercado imobiliário deve continuar a subir e que outras pessoas comprarão imóveis que não são novos, então você deverá fazer um possível lucro, “felizmente nem todo mundo compra imóveis novos”, caso contrário ninguém nunca venderia nada, tudo só é novo uma vez.

Ainda bem que o mercado é bom, se um dia você for vender, você deve adicionar ao preço que você pagou, os quase 15% de TPS e TVQ, mais os 10 mil dólares que tem que devolver ao governo, mais 5% de comissão ao agente imobiliário da construtora, provavelmente uma multa hipotecária ao banco da construtora (leia bem o contrato antes de assinar, se já assinou…agora é melhor nem ler), sem esquecer que você ainda poderá estar concorrendo com a própria construtora que terá propriedades novas para vender ao lado da sua e ainda fazendo lucro.

Comprar um imóvel é sempre um bom investimento, isso continuo repetindo, seja novo ou não.

As propriedades que não são novas seguem o preço do mercado, elas não perdem valor porque não são novas (hummm!interessante…). Foi construída há 20 anos atrás e ainda mantém um preço mais alto que uma nova. Um imóvel novo não terá um maior valor na hora de vender, porque os preços vão seguir o mercado do momento da venda (preços serão semelhantes para 3 e ½, 4 e ½, casa, com/sem garagem/estacionamento, região que o imóvel se encontra, perto/longe do metrô, INDEPENDENTE do ano de construção).

A inspeção (muito importante!): você pode mandar fazer uma inspeção numa propriedade que não é nova antes de comprá-la, mas não poderá numa nova (aaah, mas tem uma garantia na nova, isso!!!). Verifique quantos casos existem na Justiça de compradores de imóveis novos contra constutores e de garantias não respeitadas, numa casa usada, você fica sabendo de possíveis problemas antes de comprar, e compra se quiser, ou pedir ao proprietário para corrigir o problema ANTES de comprá-la.

Para as propriedades que não são novas, que incluem todo o custo que eu mencionei acima e encontram sempre compradores, a pergunta que vem à cabeça é porque? Porque não é todo mundo que compra imóveis novos? Boa questão, essa eu deixo para vocês responderem.

Com a mudança do mercado imobiliário em 2014, para um mercado de compradores, algumas construtoras passaram a aceitar a contribuição de agentes imobiliários em geral, pela dificuldade de venda desses empreendimentos novos devido a maior oferta de propriedades.

Essa pequena mudança com a participação de outro corretor não afeta o preço, pois a comissão continua sendo a mesma, agora simplesmente é dividida entre os corretores, anteriormente seria 100% ao agente imobiliário da construtora.

Mas continuam exigindo que o financiamento seja feito pela instituição financeira deles e o serviço de notário também. Alguns permitem a inspeção da obra durante e antes da entrega do imóvel, mas, são casos ainda raros.

Quanto à subvenção na compra de imóveis novos, em 2009, o projeto que mencionei é o Programme Accès Condos (SHDM), visite o site para detalhes: http://www.accescondos.org/fr/program/

Assim como também  existe o auxílio da SCHL para “Maison écologique”, veja: http://schl.ca/fr/clfihaclin/asprhy/loproc/loproc_003.cfm?renderforprint=1

“Cinq nouveaux programmes municipaux, dont le programme « Acquisition d’une propriété », entreront en vigueur sous réserve de leur adoption par le conseil municipal du 27 octobre prochain”.

Para encontrar informações atualizadas sobre essas e outras ajudas do governo na compra de propriedade, visite o site: http://ville.montreal.qc.ca/portal/page?_pageid=9337,112591595&_dad=portal&_schema=PORTAL

Até a próxima, e se alguém pensa em comprar ou vender um imóvel, entre em contato que encontraremos essas propriedades ao melhor preço possível.

Um abração a todos.

Flavio