Leia até o fim!

Leia até o fim!

14 de dezembro de 2012

Prezados Amigos,

Mais um ano chegando ao fim. Um ano que sem ser diferente dos outros, nos trouxe muitas alegrias e algumas tristezas.

Estava olhando a nossa lista de serviços (http://www.guiabrasil.ca/diretorio-de-servicos) oferecidos à comunidade: muito legal! Lembro dos dias que além de um ou dois restaurantes não havia mais nada brasileiro em Montreal.

Houve um período em minha vida que estive bem perto de todos os brasileiros morando aqui, inclusive dos que tinham negócios. Sempre lhes aconselhava a oferecer um produto ou serviço brasileiro visando também a população canadense, quebequense e não somente a comunidade brasileira. Esse aviso é valido até hoje, porque mesmo que o número de brasileiros em Montreal tenha aumentado significativamente, ainda não somos bastante em quantidade ou mesmo suficientemente unidos para que comércios ou negócios possam sobreviver dedicando-se exclusivamente à comunidade.

Eu sei que não é fácil fazer isso, sempre achamos que será mais fácil com pessoas do nosso país. Posso falar por mim mesmo que, com minha colega Dalva, atuamos no setor imobiliário. Após mais de 7 anos como agentes, ainda temos 60% dos nossos clientes sendo brasileiros.

É nítido que a comunidade cresceu muito nesses últimos 5 anos, é natural que apareçam várias pessoas oferecendo um mesmo tipo de serviço, é saudável que exista concorrência. Alguns irão se estabelecer no mercado, outros irão acabar, desistir. Nossa comunidade tem espaço, mas, ainda é bem pequena para atender a demanda de muitos serviços de um mesmo ramo, por isso a necessidade de se abrir e ampliar o público consumidor.

Trabalhar com brasileiros pode ser maravilhoso, mas também pode ser mais difícil do que inicialmente imaginávamos.

Você não pode ser humano, quero dizer você não pode cometer erro algum. Porque qualquer deslize ou pequeno erro cometido irá certamente se espalhar pela comunidade e se tornar a referência do seu serviço. Ainda que tenham sido mil acertos e apenas um único equívoco.

O serviço do seu restaurante terá sempre que ser perfeito e rápido, ou a sua feijoada igual àquela do barzinho em Sampa. Se a decoração do bolo não ficou exatamente como a encomenda, se o seu pastel ou coxinha não estiverem perfeitos, muita gente vai saber. Se o seu rodízio não for igual aos do Rio, puts nao vai estar bom! Se o colar que você vendeu, arrebentar, iiiii, se a unha não ficou muito do agrado, se você acha que a cabelereira errou no tom da tintura, se o dentista não foi tão perfeccionista quanto você achava que ele deveria ter sido, se o serviço do tradutor membro da OTTIAQ foi caro, se a batucada ou a voz do cantor nao estavam ao seu gosto naquela festa brasileira, se o professor de capoeira não foi tão atencioso, se não havia o bombom Sonho de Valsa, o café, a farinha para farofa ou o leite condensado na lojinha brasileira bem no dia que você queria comprar. Isso muito provavelmente poderá se tornar a sua referência dentro da comunidade!

Comigo também é assim, se a casa tiver algum problema, se a negociação não se deu exatamente como desejado, não consegui esclarecer completamente uma dúvida, não retornei imediatamente uma ligação, se eu estiver um dia pouco mais cansado, doente ou com algum problema familiar: o agente não correspondeu às expectativas, o agente é ruim ou algo do tipo!

Com certeza, isso não representa todos os brasileiros. Não somos obrigados a gostar de um serviço somente porque ele foi feito por um compatriota ou de um restaurante só porque o dono é brasileiro. As críticas construtivas são bem-vindas, mas, não as DESTRUTIVAS. E claro que tudo isso também pode, e provavelmente, acontece com negócios canadenses, mas canadense é canadense.

Brasileiro prefere criticar brasileiro, vi gente criticando até comercial da Brahma no Facebook. É fogo, né meu? Ninguém faz nada para melhorar, mas para criticar… Será que temos essa tendência a somente enxergar e enfatizar as deficiências? Sempre nos concentrarmos no lado negativo das coisas? Não somos capazes de apreciar as qualidades? Veja como exemplo o nosso próprio país, nao maioria das vezes, é muito mais apreciado pelos estrangeiros do que por nós mesmos.

Enfim, a mensagem que eu gostaria de passar é para vocês que estão iniciando suas atividades, que não se concentrem somente em nós, brasileiros, invistam também no pessoal daqui, o Brasil está na moda agora, aproveitem, convidem quebequenses, mexicanos, chineses, árabes, africanos, europeus, que vivem em Montreal para os seus shows, exposições, bazares. Não os excluam, porque serão eles que irão manter o seu negócio funcionando com o passar dos anos.

Gostaria de mencionar que 2012 marcou o fechamento do restaurante Bayou-Brasil, do nosso amigo Jorge, mais um adicionado à lista, ao lado do Lele da Cuca, do nosso amigo Edvaldo, do Chez Brasil, das nossas queridas Eliana e Cecília, lembrando ainda o Caipirisima dos nossos queridos Franco e Salomé, e tantos outros. A vida segue outros rumos, alguns preferem não mais trabalhar com negócio voltado para a comunidade brasileira, surgem outros interesses, outros caminhos profissionais, mas, no fim quem perde é a comunidade que deixa de ter mais opções, lugares brasileiros para se reunir e o Brasil, de um modo geral, que deixa de ter a sua culinária, a sua música, a sua arte e a sua cultura divulgadas aqui.

Bom, mudando de assunto, o nosso site Guia Brasil, nasceu exatamente dessa idéia de que brasileiros pudessem divulgar os seus serviços ou negócios para a comunidade brasileira. E que essa comunidade pudesse escolher entre um mesmo serviço oferecido por canadenses ou por brasileiros, seja essa escolha por um motivo qualquer: apoiar a comunidade, ajudar o brasileiro que está trabalhando aqui, maior facilidade com o idioma ou simplesmente uma preferência pessoal.

Ayrom, um brasileiro que trabalhava na área de seguros me procurou para criarmos um meio de chegar até a nossa comunidade. Foi quando surgiu, inicialmente a idéia de um livro comercial como o Livro do Galo português, e posteriormente a idéia de um site que anunciasse os servicos prestados por brasileiros em Montreal. Tive sorte de conhecer um webdesigner brasileiro recém-chegado naquela época (sei que agora existem muitos aqui), contratei seus serviços para a criação do Guia Brasil, o que ele fez de forma magistral. Fiquei bastante satisfeito com a maneira com a qual ele, Marcelo, também criador do nome do site, conseguiu executar tecnicamente e traduzir tão bem na forma de um website, algo que estava apenas no plano das idéias. A manutenção do site acabou ficando inteiramente com a Denise, minha então namorada, que entrou apenas para ajudar um pouco no início do projeto e acabou assumindo toda a responsabilidade. Ela se dedica, atualizando diariamente, como voluntária, esse site desde sua criação em dezembro de 2008.

O objetivo do site era, e ainda é, o de ajudar a comunidade brasileira de Montreal, nao é um business. Para um site que não conta com nenhum apoio de nenhum governo, nem canadense, quebequense ou municipal e nem mesmo do consulado brasileiro, acreditamos que esse objetivo tenha sido alcançado, apenas como referência o site tem mais de 110 mil páginas visitadas.

Ultimamente recebemos oferta de brasileiros da comunidade para nos ajudar voluntariamente em nosso trabalho, na atualização diária do site, também para fazer um upgrade na parte técnica, modernizá-lo, para que possa se tornar ainda mais útil e interessante aos visitantes. Também fomos contactados por empresas candenses, norte-americanas e mesmo brasileiras que querem pagar para anunciar no Guia Brasil. Contudo para isso ser feito é necessário investimento para mudar a plataforma do site, contratar um serviço especializado, investimento que, sinceramente, não nos interessa fazer.

Estamos num período de reflexão quanto ao futuro do Guia Brasil. Vimos o nosso Diretório de Serviços copiado descaradamente e nem, ao menos, os créditos foram dados à fonte de onde todas aquelas informações provinham. Toda boa idéia é copiada, imaginávamos que isso aconteceria, mas, não da maneira que foi. Apoiamos e divulgamos gratuitamente, sempre que possível, as iniciativas dentro da nossa comunidade, considerando sempre o princípio de ética, profissionalismo e respeito ao trabalho do próximo. Apoderar-se da idéia de outros, tomá-la para si e apresentá-la como sua não é honesto.

Novamente gostaria de agradecer a todos os nossos clientes (meus e da Dalva) por nos permitiram finalizar mais um excelente ano imobiliário, pelo apoio dado, pelas referências ao nosso trabalho, esperamos que o serviço oferecido tenha sido à altura do esperado. Gostaria também agradecer à minha esposa Dra. Denise, por sua dedicação ao Guia Brasil todos esses anos.

Finalmente gostaria de agradecer aos brasileiros que investem em nossa comunidade, organizam eventos, divulgam a nossa cultura através do trabalho que realizam, aos mais de 60 mil visitantes do Guia Brasil, àqueles que apóiam esse trabalho comunitário do site e aos que prestigiam os diversos serviços prestados pelos nossos conterrâneos.

Desejo a todos Boas Festas, Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

(não se preocupem nada vai acabar no dia 21 😉

Grande abraço a todos.

Flavio Lima